Train Driver 2018: Análise completa!

119

Bom, hoje enfim foi o lançamento do Train Driver 2018, jogo na qual grande parte dos fãs da Ovilex Software se empolgavam muito. Pois então depois de ter jogado cerca de 1 hora do game, podemos tirar conclusões sobre o inicio, gráfico e jogabilidade do jogo. É importante ressaltar que analisamos tudo detalhadamente para termos certeza do que escrevemos ou passamos a vocês.

MENU E OPÇÕES 

Para começar, falaremos do menu. Como sempre, menu padrão Ovilex, há uma barra de opções abaixo da tela, onde você poderá logar com sua conta no Facebook e Google Plus, sendo que o login na Google Play Games é necessário na primeira vez que você abrir o jogo. Logo ao lado temos opções de configuração, sobre e reiniciar todo o jogo. E a principal opção jogar.

Em configurações temos como mudar o tipo de medidas, de km/h para MPH (milhas). Você também poderá alterar as opções gráficas, que vão do baixo até o ultra, e a resolução que vai do baixo ao alto. E finalmente colocaram a opção do idioma Português Brasil, que antigamente não era adicionado nos jogos da empresa.

JOGABILIDADE

Por mais que esse seja um jogo de locomotivas, e sabemos que não podemos ter total controle sobre tudo o que ocorre no jogo. Sentimos falta de mais opções de controle, basicamente você apenas consegue acelerar e frenar. Em alguns pontos do mapa você poderá escolher ir para a direita ou ir para esquerda, na mais que isso. Porém a velocidade nos trilhos são limitadas em diversos pontos, de acordo com sua importância, ou seja, é importante conduzir a locomotiva de acordo com a velocidade permitida.

No canto superior a esquerda, temos as opções de buzina, farol (baixo e alto), e o som de aviso. Tirando o farol, as outras duas opções são basicamente inutilizáveis, pois não importa se você usar ou não, elas não farão efeito dentro do jogo, na vida real, são utilizadas para avisar em cruzamentos que “o trem está passando”. Porém no jogo, buzinando ou não você passará tranquilamente.

A direita temos opções de câmeras, desengate de cargas e acelerador/freio. Algumas câmeras do jogo ainda parecem bugadas, aparentemente duas estão fazendo com que pareça que as arvores voam, mas nada que atrapalhe a jogatina. E no centro abaixo, temos o mini mapa, o XP, que varia de acordo com o seu estilo de “dirigir”, ou seja, se continuar com velocidade acima do permitido o XP  é diminuído. E também a distância, destino e km/h.

GRÁFICOS

Bom sabemos que o jogo sofreria o downgrade em relação as imagens do jogo nas redes sociais da empresa. Porém esse downgrade não foi tão grande, jogando no Baixo ou no Ultra, a única diferença será a qualidade das texturas. Porém, o que mais pode mudar sua experiência no quesito gráfico é aumentando a resolução, assim os objetos e vegetações são carregados rapidamente, e não de acordo com o local em que sua locomotiva está passando.

Imagem com gráficos no médio

MAPA

Em relação ao mapa, você poderá acha-lo pequeno de inicio, porém a quilometragem de uma cidade a outra engana muito os jogadores, fizemos uma viagem de Bismarck até Saltlake e demoramos cerca de 15 a 18 minutos com uma velocidade média de 40/50 mph, sendo que em diversos pontos a velocidade máxima permitida é de 30 mph. O jogo conta com 8 cidades que são elas: Seattle, Bismarck, Chicago, New York, Miami, Austin, Los Angeles e Saltlake. O mapa no menu rápido mostra a velocidade permitida através de cores nas vias, como verde (Low Speed), azul (Speed 30-65 mph) e vermelho (Speed 80-110 mph).

TRENS

Agora sim, falaremos das locomotivas, inicialmente você começará com uma bem fraca assim dizemos, mas logo poderá trocar por uma melhor, sendo que a segunda tem um valor de 75,000 moedas, e os valores dos “fretes” no inicio chegam ao máximo 10,000 moedas. Com isso também existe uma opção para ganhar moedas mais facilmente assistindo videos. Ao total são 15 locomotivas sendo que as três últimas, e mais caras ainda não estão disponíveis para compra, em breve serão disponibilizadas.

GOSTOU DA ANÁLISE? COMENTE AQUI ABAIXO O QUE ACHOU DO GAME!